Search
  • julenoliveira

"A mentoria trouxe clareza sobre meus próximos passos." Confira a entrevista com a Isadora Zoni.


Isadora Zoni é internacionalista e participou da Turma 2 da Alumna.


Nesse Mês da Mulher, vamos compartilhar histórias de alunas e mentoras que participaram do programa gratuito de mentoria da Alumna.


Conheça a Isadora Zoni, que participou da Turma 2 e hoje é voluntária no projeto. A Isadora é advogada e internacionalista de formação e atua com comunicação, parcerias institucionais e cooperação internacional. Ela tem experiência em organismos internacionais, tendo atuado na Embaixada Britânica, Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA), e atualmente na Organização Internacional de Migração (OIM) da ONU.


Alumna: Isa, quem é você na fila do pão? Conta pra gente um pouquinho da sua trajetória até aqui.

Isadora: Sou advogada e internacionalista, e sempre tive interesse em trabalhar e ajudar as pessoas. A minha trajetória começou já na escola, com muito trabalho voluntário e experiências incríveis de trabalho de verão. Antes mesmo dos 18 anos, já tinha ajudado na reforma de uma creche em Florianópolis e um salão comunitário em Brunópolis. Eu entrei na faculdade de direito com um forte senso de justiça, e querendo representar as pessoas mais vulneráveis para assegurar seus direitos frente a um sistema que muitas vezes é cruel e desigual. Quando me formei, senti que o impacto pela via jurídica não era suficiente para combater esse grande abismo entre a lei e a realidade. Foi assim que cheguei no curso de Relações Internacionais. Desde então, já tive a oportunidade de atuar em vários níveis de políticas públicas, e atualmente estou trabalhando na ONU, mais especificamente na Organização Internacional para Migrações (OIM).


Alumna: Como foi a experiência de mentoria para você?

Isadora: A mentoria me surpreendeu, porque esperava muito mais ouvir conselhos da minha mentora e sobre as experiências de vida dela. Mas diferente disso, a mentoria foi um processo intenso de troca entre a gente. Me identifiquei muito com a minha mentora a nível pessoal, tínhamos muitas características comuns, o que me emprestou uma segunda perspectiva afiada sobre minha realidade e objetivos. Nesses 6 meses, refleti muito sobre mim, minha trajetória e meus objetivos. Sinto que isso trouxe muita clareza sobre os próximos passos, para que eu consiga chegar aonde quero.


Alumna: Qual foi seu maior aprendizado?

Isadora: Entender que, às vezes, fazemos o que podemos, diante das nossas circunstâncias. E que não é justo comigo mesma, sempre exigir 110%.


Alumna: Como foi a relação com sua mentora? O match deu certo?

Isadora: Eu brinco com todo mundo, que se um dia eu ficar solteira... precisarei de uma ajuda do algoritmo e da equipe Alumna. Eu digo isso porque realmente foi assustador quanto eu e minha mentora tínhamos em comum. Acredito que seja recíproco quando digo que víamos muito uma da outra, nas trocas que tínhamos. Isso me surpreendeu bastante, especialmente porque a Cammilla não tinha uma atuação necessariamente próxima dos meus objetivos. A experiência excedeu todas as minhas expectativas.


Alumna: Pode contar algum episódio em que se sentiu amparada, acolhida e que fez diferença em sua busca profissional?

Isadora: No meio da mentoria, conversamos sobre algumas frustrações que eu estava tendo no trabalho e como estava pensando em buscar outras oportunidades. Para além de me escutar, a minha mentora me ajudou a racionalizar esse processo e me permitiu tomar uma decisão informada diante dos meus objetivos a médio e longo prazo, bem como a realidade que eu vivo. Acabei mudando de trabalho, e estou desde setembro em uma nova função.


Alumna: Você tem algum livro para nos indicar e que tem sido essencial no planejamento de sua carreira?

Isadora: Não sei se necessariamente para a carreira, mas de forma geral, um livro que me ajudou muito a buscar oportunidades e me preparar para o inesperado foi o "Príncipe" de Maquiavel. Para além dos ensinamentos de liderança e controle, eu acho que algo que sempre me marcou muito foi o sucesso depender de "virtú" e "fortuna". Acho que a vida é cheia de acasos, mas podemos muitas vezes criar as nossas oportunidades. Correr atrás mesmo. Fazer acontecer. E para que tudo isso seja possível, é também essencial combinar essa garra com preparação. Estar sempre buscando aprender mais, para estar pronta para as oportunidades que eu busco construir.